A Câmara Municipal de Feira de Santana realizou nesta quinta-feira (08) audiência pública, presidida pelo vereador Roberto Tourinho (PV), para discutir a retirada de algumas linhas de ônibus em localidade da Zona Rural, que passará a ser operada por permissionários de vans. A discussão, requerida pela Comissão de Obras, Urbanismo, Infraestrutura Municipal, Agricultura e Meio Ambiente da Casa, reuniu moradores da zona rural, vereadores, autoridades, imprensa, profissionais do sistema de transporte e representantes da sociedade civil.

Ao saudar os presentes, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Feira de Santana, José Ferreira Sales, o Zé Grande, parabenizou a Casa pela preocupação com a comunidade rural do município e criticou o Governo Municipal pelo projeto de implantação das vans para exploração das linhas de transporte. “Os projetos do Executivo não se aplicam ao povo do campo. Tirar os ônibus da zona rural é um erro, é um retrocesso. Como é que as pessoas irão trazer suas mercadorias para a cidade. Não aceitamos essa medida, que é a prova do descaso com a zona rural, um verdadeiro descaso político”, reclamou.

Para o presidente da Associação dos Condutores Autônomos do Transporte Coletivo de Feira de Santana, Raimundo de Souza Ferreira, é preciso respeitar a o direito de escolha da população. “O transporte alternativo começou a ser excluído da cidade. Nas licitações para contratação dos ônibus, excluíram as vans. O alternativo vai sempre andar com o povo. É preciso entender que o ponto é do passageiro e ele é quem deve escolher se quer ir de ônibus ou de van. O povo tem que ser respeitado”, refletiu.

O secretario municipal de Transporte e Trânsito, Saulo Figueredo, destacou a Lei de Mobilidade urbana que norteia as diretrizes do sistema de transporte pública em todo o país e pontuou que as intervenções promovidas neste município atendem ao estudo realizado por empresa de engenharia devidamente qualificada e contratada pelo Executivo. “Fizemos uma série de adequações . A reformulação do sistema de transporte obedece a legislação vigente, uma vez que o modelo permitido atualmente é o de permissão”, explicou ressaltando que todo processo de licitação é realizado de forma transparente e atendendo às determinações legais.

O secretário assegurou que o objetivo do Município é garantir o bem estar da comunidade e anunciou que 14 ônibus permanecerão operando no sistema de transporte coletivo de Feira de Santana atendendo 13 linhas. “Operaremos em todas as linhas, são 27 linhas e 105 vans. Todas as localidades que são atendidas continuarão sendo atendidas. Poderão ficar todos os ônibus, alguns ônibus ou nenhum ônibus, essa é uma decisão do prefeito, que dependerá dos dados apresentados em estudo”, ressaltou.

Na oportunidade, os vereadores Neinha Bastos (PTB), Luiz Augusto de Jesus (DEM), Zé Curuca (DEM), Cadmiel Pereira (PSC), Edvaldo Lima (PP), Alberto Nery (PT), Isaias de Diogo (PSC), Carlito do Peixe (DEM) e Luiz da Feira (PPL) se pronunciaram parabenizando a Casa pela promoção da audiência pública, defendendo a garantia dos direitos dos usuários do transporte público e cobrando respostas mais esclarecedoras sobre a exploração do sistema nas comunidades rurais de Feira de Santana.

 

Download PDF

Redação

Comentários estão fechados.