No uso da tribuna, na sessão ordinária desta terça-feira (26), na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador João dos Santos, Bililiu (PPS) abriu espaço para os colegas se pronunciarem e corroborou com as críticas à atuação do Governo do Estado em Feira de Santana. 

Zé Filé se pronunciou em um pedido de aparte e garantiu que sente a falta de profissionais nas unidades de saúde de Feira de Santana. “Infelizmente, os governos não estão fazendo suas partes. A UPA da Mangabeira está uma tristeza e a do Feira X também. Estou cobrando muito e através destes microfones tenho conseguido resolver algumas questões. Mas, a culpa é dos governadores da Bahia que antecederam Rui Costa e dos prefeitos de Feira de Santana”, disse.  

Também em aparte, o vereador Isaías de Diogo (PSC) disse que o problema da saúde de Feira de Santana não é pela falta de profissionais. “O que faltou foi a sensibilidade do Governo do Estado quando da implantação dessa regulação, que é a fila da morte”, pontuou. 

Com a palavra, o edil Bililiu afirmou que o colega Zé Filé em parte é conivente com o descaso do Governo do Estado para com Feira de Santana. “O governador teve votação expressiva em nossa cidade e hoje deixa morrer vários eleitores seus e com isso vimos famílias entristecidas com as perdas e com o descaso”, analisou. 

Participando do debate, a edil Neinha Bastos lembrou que saúde é um assunto que está sendo frequentemente discutido na Casa da Cidadania por conta da preocupação que os vereadores têm. “Quando vejo algum vereador falar que as unidades de saúde estão uma calamidade, eu pergunto onde fica o atendimento de alta complexidade da cidade? A fila da mote na Bahia é a transferência e o apadrinhamento. Quem não tem padrinho ligado ao Governo do Estado vai morrer. Fica aqui minha indignação em relação à saúde ofertada pelo Estado à Feira de Santana”, disse. 

Para finalizar, o edil Bililiu pediu à imprensa que repercuta o descaso com que o Estado age em Feira de Santana. “Espero que José Ronaldo seja nosso governador para mostrar como se administra um estado. O que eles fazem conosco é desumano. É triste falar que eles estão fazendo jogatina com a vida humana em Feira de Santana”, findou. 

 

 

 

 

 

Download PDF

Redação

Comentários estão fechados.