Em pronunciamento, na sessão ordinária desta quarta-feira (08), na Câmara Municipal de Feira de Santana, vereador João dos Santos, Bililiu (PPS) tratou sobre blitz do IPVA, críticas feitas a ele por blogueiro e ainda repercutiu o pronunciamento do colega Roberto Tourinho (PV).

“Hoje, quero falar sobre a ganância sem tamanho do Governo do Estado. Foi cassada a liminar que proíbe a apreensão de veículos com o IPVA atrasado. O argumento utilizado pelo presidente do Tribunal de Justiça da Bahia se resumiu na segurança da sociedade em relação aos carros que transitam nas ruas da cidade, gerando riscos à população. Mas, eu pergunto: Qual a relação existente entre o IPVA e a segurança das pessoas? Quando são feitos os pagamentos das despesas anuais dos veículos, são feitas também vistorias nos veículos?”, questionou Bililiu.

Em seguida, o edil passou a tratar sobre críticas que recebeu do blogeiro Clóves Pedreira. “Muitos não têm o que este vereador tem: caráter e honestidade. O blogueiro Clóves Pedreira disse que sou assalariado e não mentiu. Mas, um homem direito de caráter não manda recado e agora digo: não faço coisa errada e encaro meus problemas.  Portanto, não me acuse de algo que não fiz. Eu lhe respeito e exijo respeito também”, disparou.

Ainda no uso da tribuna, Bililiu repercutiu o pronunciamento do colega Roberto Tourinho (PV), que na sessão anterior criticou vereadores que têm cargos no Governo Municipal. “Tourinho falou de omissão e garanto que não estou dentro. Falou sobre indicações no Governo Municipal. Sou um calouro aqui, mas já aprendi muito com os colegas nesta Casa. Será que este vereador, com sete mandatos, nunca vez indicação ao Município? Quando foi vereador pela primeira vez, o prefeito era José Falcão da Silva. Será que não houve alguma benesse? Quando foi secretário, será que não fez uma indicação para pessoa de sua confiança para trabalhar ao seu lado?”, indagou.

E continuou. “Eu tenho 49 cargos no Município e se isso for crime, minha pena será menor que a sua. Eu achei que isso fosse correto. Sou um homem direito e honesto, portanto não aceito ser chamado de corrupto, nem direta nem indiretamente. Fui eleito legalmente e vou legislar em prol de minha comunidade. Podemos errar, mas mesmo assim tenho um coração bom e percebo quando precisam de ajuda. Estarei sempre pronto para servir a quem precisar”, garantiu.

Em aparte, o vereador Roberto Tourinho respondeu ao colega e esclareceu seu discurso. “Estou no 7º mandato e em 6 fui vereador de oposição, do 1º ao último dia. Nunca participei de Governo ou tive indicação. Quando José Falcão foi perfeito, não fui vereador, era secretário. Somente neste mandato fui Governo, mas no 7º mês tomei um rumo independentemente de Ronaldo. Quero também ressaltar que não chamei ninguém de corrupto, apenas afirmei que não concordo que pessoas que ocupem cargos de cooperativas sejam melhor remunerados que os efetivos. Minha defesa foi em relação aos trabalhadores efetivos”, disse.

De volta com a palavra, Bililiu afirmou que  tudo que for falo sobre ele ou algo que não concorde, irá para o embate. “Eu não assumo o que não fiz. Perdi uma eleição há 6 anos por 29 votos e na sexta-feira que antecedeu o pleito, tinha 22 mil reais na minha frente. Um colega, que estava comigo, não aguentou ver as cédulas e levou a eleição. Fiquei triste. Mas, sempre pensei que com a permissão de Deus um dia seria vereador e Ele me honrou. É quem nos dá a sabedoria de seguir em frente”, findou.

Download PDF

Redação

Comentários estão fechados.