A Câmara Municipal de Feira de Santana, na manhã desta terça-feira (06), realizou a segunda discussão do Projeto de Lei de nº 155/2018, de autoria do Poder Executivo, que estima a receita e fixa a despesa do município para o exercício financeiro de 2019. 

De acordo com a proposição, fica estimada a receita do município de Feira de Santana para o exercício de 2019, e fixada a despesa em igual valor, nos termos dos artigos 112 e 115 da Lei Orgânica, compreendendo o Orçamento Fiscal e da Seguridade Social, referente aos Poderes Legislativo e Executivo do Município, seus fundos, órgãos e entidades da Administração Pública Municipal direta e indireta, inclusive fundações instituídas e mantidas pelo Poder Público no valor de R$ 1.266.366.238,00. 

Ainda segundo a matéria, da receita total são distribuídos para os órgãos, os seguintes valores: R$ 30.000.000,00 – Câmara Municipal; R$  3.980.002,00 – Gabinete do Prefeito; R$ 250.000,00 – Procuradoria Geral; R$ 180.000,00 – Secretaria Municipal de Governo; R$ 213.597.403,00 – Secretaria Municipal de Administração; R$ 32.030.300,00 – Secretaria Municipal da Fazenda;  R$ 12.504.956,00 – Secretaria Municipal de Comunicação Social; R$ 10.012.280,00 – Secretaria Municipal de Planejamento; R$ 295.242.571,00 – Secretaria Municipal de Educação; R$ 28.893.266,00 – Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer; R$ 398.709.357,00 – Secretaria Municipal de Saúde; R$ 30.373.000,00 – Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social; R$ 70.553.603,00 – Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano; R$ 10.350.240,00 – Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico; R$ 82.200.350,00 – Secretaria Municipal de Serviços Públicos; R$ 4.800.000,00 – Secretaria Municipal de Agricultura, Recursos Hídricos e Desenvolvimento Rural; R$ R$ 1.850.000,00 – Secretaria Municipal de Habitação; R$ 50.000,00 – Gabinete do Vice-Prefeito; R$ 23.396.616,00 – Secretaria Municipal de  Transportes e Trânsito;  R$ 1.730.000,00 – Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Naturais; R$ 4.573.000,00 – Secretaria Municipal de Prevenção à Violência e Promoção dos Direitos e Humanos; R$ 50.000,00 – Secretaria Municipal Extraordinária de Relações Interinstitucionais; R$ 300.000,00 – Secretaria Municipal Extraordinária de Gestão e Convênios; R$ 7.739.294,00 – Reserva de Contingência.

Em pronunciamentos na tribuna da Casa da Cidadania, os vereadores Edvaldo Lima (PP) e Zé Filé (PROS) defenderam a liberação de mais recursos para a Secretaria Municipal de Agricultura, sob a argumentação de que R$ 4.800.000,00 são insuficientes para amenizar as dificuldades que passam a zona rural, sobretudo por conta da estiagem. Ambos sugerem que sejam transferidos verbas de outras secretarias para a pasta supracitada.

Já o líder do Governo na Câmara, vereador Luiz Augusto de Jesus – Lulinha (DEM), disse que, praticamente, todas as secretarias municipais dão suporte à Secretaria Municipal de Agricultura, Recursos Hídricos e Desenvolvimento Rural, por meio de investimentos na educação, saúde, infraestrutura, lazer, cultura, iluminação, limpeza pública, entre outras áreas da zona rural.

Download PDF

Redação

Comentários estão fechados.