As medidas anunciadas pelo Governo do Estado para enxugar a máquina administrativa voltaram à pauta dos pronunciamentos na sessão desta quarta-feira (5) da Câmara Municipal. Desta vez, foi o presidente do Legislativo, vereador José Carneiro Rocha, que abordou o assunto, apresentando em plenário um ofício que será encaminhado ao governador Rui Costa pedindo a reavaliação das decisões. Ele pediu que os colegas assinassem o documento.

Carneiro disse que Rui Costa foi reeleito para o maior cargo público da Bahia e pode realizar muito mais. “Estamos preocupados com o projeto enviado à Assembleia Legislativa propondo a extinção do Centro Industrial Subaé, uma das molas propulsoras do desenvolvimento de Feira de Santana”, argumentou o vereador, que definiu o CIS como “instrumento permanente de interlocução entre o Município e o Estado”. Ele contabilizou que o município conta com 1.632 indústrias, que representam 22% do PIB.

“Foi uma ação precipitada e desnecessária”, afirmou José Carneiro, referindo-se ao envio de projeto para a ALBA, defendendo que o Governo do Estado amadureça o debate sobre o assunto, ouça as entidades de classe. “O CIS é patrimônio de Feira de Santana”, frisou o presidente da Casa da Cidadania.

Download PDF

Redação

Comentários estão fechados.