Domingo, 28 de novembro de 2021, 08:34:18

Após perder filha e neta em incêndio de residencial, mulher pede por justiça na Câmara de Feira

25/11/2021, 17:13

O incêndio que destruiu apartamentos do Condomínio Iguatemi, em 2018, vitimou quatro pessoas e deixou várias outras gravemente feridas. Duas das vítimas fatais eram a filha e neta de Marinalva Rodrigues, que foi à Câmara Municipal de Feira de Santana, três anos após o incidente, para reivindicar por justiça. Com a sessão ordinária da quarta-feira (24) suspensa para debater sobre a temática, a senhora cobrou a indenização e a realização das devidas intervenções nos apartamentos atingidos pelo fogo. 

“Eu não vou receber as duas de volta, mas eu quero justiça, porque, até hoje, nada foi feito. Eu tenho um cantinho humilde para morar, mas essas pessoas que não têm estão sofrendo”, disse Marinalva Rodrigues em uma fala emocionante que comoveu os vereadores da Casa da Cidadania e a secretária Municipal de Habitação, Cíntia Machado, que estava presente na ocasião a convite da Câmara. 


Sem auxílio moradia

Sobrevivente do incêndio, Rosângela do Carmo precisou se mudar para a residência de familiares. Sem auxílio moradia, ela relata a dificuldade de viver em outro local sabendo que o seu apartamento não está em condições adequadas de habitação. “A gente está morando de favor, alguns estão morando de aluguel e ficam passando por humilhações. A gente nunca recebeu o aluguel social ou algum tipo de assistência, nem uma cesta básica”.

“É lamentável e vergonhoso”, opina o vereador Paulão do Caldeirão (PSC) acerca da falta do pagamento do auxílio moradia, que, segundo o parlamentar, seria em torno de RS 400,00.