Domingo, 28 de novembro de 2021, 09:16:38

Filha única contesta na Justiça testamento da mãe, que a exclui e contempla a terceiros com imóveis

25/11/2021, 15:24
Embora filha única, afastada da herança da mãe, falecida em 2016. O testamento, segundo ela ilegal, contempla a outras pessoas em 100% dos imóveis de propriedade de sua genitora.  Esta é a situação de Rafaela Maria, relatada pela própria, na Tribuna Livre da Câmara Municipal. Transexual, esteve na Casa para ler um manifesto LGBTQIA+. Aproveitou para falar do seu drama na Justiça, onde contesta o inventário. Fez um apelo, ao Judiciário, no sentido de que o seu processo propondo a invalidação do documento seja finalmente apreciado. 
 
Rafaela, 54 anos de idade, diz que, sem justificativas, o caso já passou por nove magistrados, sem que se tenha uma resolução. "A parte ré está, talvez, recebendo 100% dos valores dos aluguéis dos imóveis de minha mãe". Diz que existe uma ordem judicial de depósito do valor de um dos alugueis, em seu nome, há quase dois anos, mas  vem sendo descumprida. "Já apelei (à Justiça) várias vezes que fosse liberado um alvará para receber parte (dos aluguéis) e poder sobreviver, mas todos os pedidos foram negados", lamenta. Atribui o fato de ser "ignorada", na Justiça, à sua condição de sexualidade. "Fazem o que querem comigo, é como se eu não existisse".
 
As dificuldades também perpassam por sua luta por emprego. "Eu não consigo achar trabalho. Faço testes em empresas, sou aprovada, mas quando chega no RH, que eu digo sou transexual, me dispensam". Considera-se estar "na miséria, mendigando" e que chegou a comer restos.  Conta com a ajuda de "pessoas de bom coração para comer, pagar aluguel, contas, comprar remédios".  
 
A saúde também está abalada. Sofreu infarto, Teve os dois pulmões perfurados. Logo em seguida, descobriu que tinha nódulos em várias partes do corpo. Mais recentemente, contraiu Covid-19 duas vezes e está com sequelas. "Tenho trombose, posso morrer aqui agora falando com vocês", disse, aos vereadores. Confessa estar "com desespero por estar afogada em dívidas" e admite "pensamentos suicidas". Rafaela diz ter sido "católica fervorosa", mas hoje não tem religião específica. "Minha religião é Cristo e com Ele aprendi a amar ao próximo como a mim mesma".