Sexta-feira, 9 de dezembro de 2022, 22:51:31

Revogação da seleção de oficineiros para o Arte de Viver, pela Fundação Egberto Costa, terá que ser esclarecida

24/11/2022, 12:17 | Foto: Marcio Garcez Vieira / ASCOM-CMFS
A revogação da seleção pública realizada pela Fundação  Municipal de Tecnologia da Informação, Telecomunicações e Cultura Egberto Costa (Funtitec), visando a contratação de oficineiros para ministrar aulas no programa Arte de Viver, deverá ser esclarecida à Câmara. A cobrança de informações ao órgão da Prefeitura de Feira de Santana é alvo de um requerimento do vereador Professor Jhonatas Monteiro (PSOL),  aprovado pelo Legislativo. O documento será enviado ao secretário de Cultura, Esporte e Lazer e diretor-presidente interino da Fundação, Jairo Carneiro Filho.
 
A Prefeitura chegou a publicar a convocação dos aprovados, no Diário Oficial do dia 19 de julho (o edital da seleção foi lançado em março). A anulação do processo pelo Governo Municipal, "de maneira informal", conforme o vereador, sob a alegação de que "não haveria previsão orçamentária para execução do programa este ano", pegou a todos os selecionados de surpresa. O Arte de Viver, que oferece vários  cursos nas áreas de dança, música, teatro, entre outros, acontece anualmente e atende a centenas de alunos de todas as idades que não podem pagar pelo serviço.
 
Procurado por vários profissionais selecionados para  ministrar as aulas e prejudicados com a medida,  Professor Jhonatas pede um "posicionamento oficial" da Funtitec sobre a revogação do edital, que esclareça as motivações do ato administrativo. Também quer saber, através do requerimento, sobre as "perspectivas futuras a respeito da manutenção e funcionamento do  programa Arte de Viver".